Albus Dumbledore

From Wandpedia

Jump to: navigation, search
Albus Dumbledore

---
Dados
Gênero

Masculino

Olhos

Azuis

Cabelo

Acaju (jovem)
Branco

Nascimento

1881

Morte

Junho de 1997
Torre de Astronomia, Hogwarts

Título(s)

Antigamente:
*Chefe da Gryffindor
*Professor de Transfigurações
Recentemente:
*Diretor de Hogwarts
*Cacique Supremo da Confederação Internacional de Bruxos
*Bruxo Chefe do Wizengamot

Alias

Alvo Dumbledore (Brasil)

Varinha

Elder Wand

Patrono

Fênix

Bicho-papão

Cadáver de Ariana

Sangue

Mestiço

Afiliações

Ordem da Fênix
Hogwarts

Outras informações
Primeira aparição

Harry Potter and the Philosopher's Stone

Última aparição

Harry Potter and the Deathly Hallows

Representação

Richard Harris (PSCoS)
Michael Gambon (PoAOotP)

Albus Percival Wulfric Brian Dumbledore (1881-1997) antigamente fora o Chefe da Casa de Gryffindor e Professor de Transfigurações. Mais recentemente, teve o cargo de Diretor de Hogwarts. Um dos bruxos mais poderosos de todos os tempos, Dumbledore derrotou Grindelwald, fundou a Ordem da Fênix e lutou de igual para igual contra Lord Voldemort.

Contents

Vida prévia

Nascimento e adolescência

Dumbledore nasceu em 1881, filho de Percival e Kendra Dumbledore. Três anos depois de seu nascimento, ganhou um irmão, Aberforth, e depois deste, Ariana. Três crianças trouxas atacaram Ariana, quando esta tinha seis anos de idade, quando a viram fazendo mágica. Como resultado do ataque, ela ficou com uma doença mental para o resto da vida. Na maior parte do tempo ela estava intacta, agradável e assustada, mas às vezes tinha erupções incontroláveis de agressividade. O pai de Albus, Percival, atacou os três trouxas quando descobriu o que eles fizeram para sua filha Ariana. Ele foi mandado para uma prisão perpétua em Azkaban, onde morreu. Para prevenir Ariana de ser trancada no St. Mungo's, Kendra se mudou com a família para o vilarejo de Godric's Hollow, e a doença de Ariana foi escondida. Os vizinhos pensavam que Ariana era uma Squib.

Quando Dumbledore passou a frequentar Hogwarts, ele se tornou amigo de Elphias Doge, que era geralmente evitado por sua cara esverdeada, vinda de sua Varíola de Dragão. Durante sua educação em Hogwarts, Dumbledore era conhecido como o aluno mais brilhante que já pusera os pés na escola. Ele ganhou muitos prêmios e se relacionou com vários bruxos notáveis, como Nicolas Flamel, Bathilda Bagshot, Adalbert Waffling. Seus textos e pesquisas eram encontrados em publicações como Transfiguration Today, Challenges in Charming e The Practical Potioneer. Ele foi colocado na casa de Gryffindor. Esta informação foi dada a Harry por Hermione no primeiro livro, no Hogwarts Express. Além disso, no filme de Goblet of Fire, ele diz a Harry que pôs fogo em uma cortina do dormitório de Gryffindor. Muitas decorações de seu escritório também sugerem que ele esteve na Gryffindor.

Seu irmão, Aberforth, que provou ser muito diferente de Dumbledore, não possuindo o talento extraordinário em magia - enquanto Dumbledore ficou conhecido pela razão, Aberforth ficou pelos duelos. Quando vieram os O.W.L.s em seu quinto ano, a velha Griselda Marchbanks, chefa das Autoridades de Examinações em Bruxaria, examinou pessoalmente Dumbledore para seus N.E.W.T.s em Feitiços e Transfiguração, e lembrou a Dolores Umbridge que o jovem Dumbledore fez "...coisas com a varinha que eu nunca tinha visto antes". Quando Dumbledore e Doge terminaram Hogwarts, eles planejaram fazer uma viagem ao redor do mundo. Na véspera da viagem, Dumbledore sofreu a morte de sua mãe, Kendra, morta por uma das explosões de ira de Ariana.

Dumbledore e Grindelwald

Por causa da ausência dos pais de Dumbledore (o pai em Azkaban e a mãe falecida), Albus se tornou chefe da família. Ele foi forçado a ficar em casa com sua irmã Ariana enquanto Aberforth completava sua educação. Pouco depois, um jovem tão talentoso quanto Dumbledore chegou em Godric's Hollow para viver com sua tia-avó, Bathilda Bagshot, autora de A History of Magic. O jovem Dumbledore se tornou amigo de Gellert Grindelwald depois que os dois foram apresentados por Bathilda, e juntos eles sonharam governar o mundo "pelo bem maior" unindo as lendárias Relíquias da Morte.

Os dois tinham a idéia de que o Mundo dos Bruxos deveria tomar seu lugar de direito acima dos Trouxas, e os dois acreditavam que bruxos deveriam dominar e tomar seu lugar de direito no mundo. Dumbledore mais tarde perceberia que estava sendo apenas levado pela frase "pelo bem maior" e que no fundo sabia o que Gellert Grindelwald era. Mesmo se fossem forçados a destruir alguns pelo caminho, seria "pelo bem maior" e os sofrimentos e perdas seriam recompensados mil vezes no final. Contudo, a sede de Dumbledore por poder e conhecimento também o levou a negligenciar sua família. Por causa da necessidade de viajar para ganhar seguidores, Dumbledore planejou levar Ariana com ele enquanto Aberforth ficava para trás, em Hogwarts. Após dois meses da amizade, Aberforth se aproximou dos dois e disse a Albus que ele não poderia levar Ariana porque ela não estava pronta para suportar o mundo lá fora. Grindelwald disse a Aberforth que ele era um garoto estúpido interrompendo o caminho de seu irmão; uma vez que o Nova Ordem do Mundo dos Bruxos viesse, Ariana e outros bruxos no mundo inteiro não teriam que se esconder dos trouxas. Grindelwald usou a Maldição Cruciatus em Aberforth e os três começaram a duelar. Durante o duelo, Ariana se enfureceu e tentou ajudar, mas acabou morta: uma das maldições se refletira e a atingira. Apesar de não ser possível saber de quem foi a maldição, Dumbledore se sentiu culpado pelo resto da vida.

Grindelwald correu de volta para a casa de Bathilda e partiu para começar seu próprio domínio. Enquanto isso, um funeral foi feito para Ariana. Aberforth se enfureceu e deu um soco no nariz de Albus, quebrando-o e dando sua aparência curva. Albus depois sentiu remorso por todos os erros que cometeu na adolescência. Como resultado, ele sentiu que não se devia confiar poder a ele e, como resultado, nunca aceitou a posição de Ministro da Magia, apesar de ter sido oferecida a ele várias vezes.

Carreira

Cerca de 75 anos depois de sua graduação, Dumbledore retornou a Hogwarts como Professor de Transfiguração. Ele depois se tornou Diretor Substituto, recebendo a função de convidar alunos para a escola.

Em 1945, Dumbledore derrotou o agora Bruxo das Trevas Grindelwald, como mencionado no Card de Sapo de Chocolate de Dumbledore. Grindelwald possuía a Elder Wand, da qual Dumbledore se tornou o verdadeiro mestre derrotando o bruxo das trevas. Seu Card de Sapo de Chocolate também afirma que ele, junto com Nicolas Flamel, estudou alquimia e descobriu os 12 usos do sangue de dragão. Além disso, ele recebeu os cargos de Bruxo Chefe do Wizengamot e Cacique Supremo da Confederação Internacional de Bruxos. Em sua vida, Dumbledore continuou a recusar a posição de Ministro da Magia (é mencionado no primeiro livro que ele foi convidado para o cargo antes da vinda de Fudge ao poder). Ele recebeu a Ordem de Merlin, Primeira Classe, por Grande Feitiçaria.

Ascensão de Lord Voldemort

Uma das tarefas de Dumbledore como professor de Hogwarts foi encontrar o jovem bruxo Tom Marvolo Riddle e oferecer a ele um lugar em Hogwarts. Riddle vivia num orfanato de trouxas, e, descobrindo suas habilidades mágicas, não sabia que sua mãe havia sido uma bruxa. Neste tempo, Dumbledore era muito mais jovem e tinha cabelos e barbas acajus. Em sua viagem ao mundo trouxa, ele usava uma roupa de veludo cor de ameixa. Visitando o orfanato, Dumbledore contou a Riddle sobre Hogwarts e sobre como ele era diferente. Mesmo impressionado pelas habilidades mágicas de Riddle, Dumbledore estava atormentado pelo gosto admitido do garoto de inflingir dor e nunca confiou plenamente nele. Anos depois, Riddle tentou conseguir um posto no quadro docente de Hogwarts, mas Dumbledore persuadiu o Diretor atual, Armando Dippet, a recusar o pedido de Riddle, e ele mesmo recusou um segundo pedido anos depois; nesse tempo, Riddle declarou guerra a seus antigos mentores e adotou o nome que iria amedrontar os bruxos nos anos seguintes: Lord Voldemort.

Começando a agir, Dumbledore formou a Ordem da Fênix. Enquanto o poder de Voldemort crescia, a Ordem da Fênix lutou contra seus Death Eaters e outros seguidores. Através da batalha, a Ordem sofreu perdas imensas e terríveis, como os Longbottoms (os pais de Neville), Gideon e Fabian Prewett (os irmãos da Sra. Weasley), e os Potters.

Durante uma entrevista com Dumbledore pelo posto de Professora de Adivinhação, Sybill Trelawney revelou a profecia falando sobre a queda de Voldemort numa noite de tempestade no Hog's Head. A profecia foi parcialmente entreouvida por Severus Snape, que contou o que ouviu para Voldemort. Voldemort interpretou a parte da profecia como se referindo a Harry. Nesse momento, Snape se uniu a Dumbledore em troca da proteção de Lily. Porém, Voldemort matou os Potters e tentou matar Harry também; mas, como dizia a parte da Profecia que ele não ouvira, ele não mataria Harry, mas o "marcaria como seu igual".

Antes dos assassinatos dos Potters, Dumbledore pediu a James para ver a Capa de Invisibilidade, suspeitando que fosse uma das Relíquias da Morte. Quando James morreu, Dumbledore ficou com a capa e resolveu passá-la para Harry, o filho de James.

Quando os pais de Harry foram mortos e Voldemort foi reduzido a uma forma insignificante, foi de Dumbledore a decisão de colocar o recém-orfão Harry na casa de Vernon e Petunia Dursley, sabendo que Harry seria protegido pela mágica especial causada pelo sacrifício de sua mãe, depois de invocar a mágica do vínculo de sangue e Petunia a selou aceitando Harry em sua casa. A velha mágica dos vínculos de amor fizeram com que Voldemort não pudesse tocar Harry.

Exílio de Voldemort

Philosopher's Stone

Dumbledore
Enlarge
Dumbledore

No começo da série, em Harry Potter and the Philosopher's Stone, Dumbledore chega ao Número Quatro, Privet Drive, em Little Whinging, Surrey, para deixar o bebê Harry Potter na porta de seus tios Petunia e Valter Dursley com uma carta explicando a situação. Ele parte com uma última frase, "Boa sorte, Harry."

Quando Harry chega a Hogwarts, Dumbledore recebe os alunos com suas boas-vindas anuais, avisando que a floresta na propriedade é proibida a todos os alunos, novos professores no quadro docente, eventos a acontecer. Dumbledore só foi interrompido uma vez nesse processo, por Dolores Umbridge e seu reconhecível "Hem, hem", que achou apropriado que ela mesma fizesse a apresentação do ano (Order of the Phoenix). Meses mais tarde, Dumbledore conta a Harry os segredos do Espelho de Erised e que, quando se olha nele, Dumbledore se vê segurando "um par de grossas meias de lã". Contudo, ele, como Harry, viu sua família viva, feliz e unida. Ele também teve uma última conversa com Harry depois dos eventos nas masmorras e diz que ele é muito jovem para compreender a informação sobre por que Voldemort tentara matá-lo.

Chamber of Secrets

Em Harry Potter and the Chamber of Secrets, Dumbledore pergunta se Harry "tem algo que queira me contar" depois do ataque sobre Justin Finch-Fletchley. Durante a segunda metade da história, Dumbledore é (pela primeira vez) afastado de Hogwarts pelo conselho. Lucius Malfoy persuadiu (através de ameaças) os outros onze conselheiros da escola para que suspendessem Dumbledore como Diretor à luz dos ataques de um basilisco na escola quando a Câmara Secreta foi aberta. Dumbledore retornou quando os conselheiros descobriram que Ginny Weasley fora levada para a Câmara Secreta e é descoberto que Lucius forçou os outros conselheiros a suspendê-lo. Malfoy é removido do posto de conselheiro de Hogwarts quando Dumbledore retorna. Depois dos eventos na Câmara Secreta, Dumbledore premia Harry e Ron por Serviços Especiais Prestados à Escola. Ele também conta a Harry que este pode falar Parseltongue porque Voldemort acidentalmente transferiu alguns de seus poderes para Harry na noite da morte de seus pais e que ele é um verdadeiro Gryffindor porque as "escolhas é que determinam quem nós realmente somos".

Prisoner of Azkaban

Dumbledore
Enlarge
Dumbledore

No terceiro livro, Harry Potter and the Prisoner of Azkaban, Dumbledore é forçado a aceitar dementadores nos terrenos de sua escola para proteger os alunos de Sirius Black, o suposto assassino que escapou de Azkaban. Depois da invasão de Black à escola, Dumbledore ordenou que fechassem todas as entradas para a escola e os terrenos. Mais tarde, em junho, Dumbledore sugere que Hermione use seu Viratempo para voltar três horas no tempo e salvar Buckbeak o hipogrifo e Sirius de suas execuções injustas.

Goblet of Fire

No quarto livro, Harry Potter and the Goblet of Fire, Dumbledore apresenta o Triwizard Tournament. Ele também serve como um jurado durante o evento. Quando o nome de Harry sai do Cálice de Fogo, Dumbledore não fica enfurecido, mas calmamente pergunta a Harry se ele colocou o nome no Cálice ou se pediu para um estudante mais velho colocar seu nome. Quando Harry nega, ele acredita. Ao contrário do livro, no filme, Dumbledore parece furioso e atormentado e até balança Harry pelos ombros impacientemente para que ele responda às perguntas.

No fim do livro, quando Harry retorna segurando o corpo de Cedric Diggory, Alastor Moody (na verdade um disfarce usado por Bartemius Crouch Jr. usando Poção Polissuco) leva Harry para longe de Dumbledore e seu escritório dentro do castelo. Dumbledore suspeita imediatamente e vai para a sala de Moody junto com Minerva McGonagall e Severus Snape. Dumbledore joga Moody para trás, para longe de Harry parecendo enfurecido, sem sorriso no rosto ou brilho nos olhos, com fúria gelada em cada ruga de seu rosto antigo. Em outras palavras, "... mais terrível do que Harry jamais poderia imaginar". Ele então dá Veritaserum a Barty Crouch e o interroga; Crouch confessa tudo desde sua escapatória de Azkaban até o plano de levar Harry para Voldemort, o que levou ao renascimento do Lorde das Trevas. Depois, Dumbledore escuta ao testemunho de Harry sobre o retorno de Voldemort acompanhado do padrinho do garoto, Sirius Black. No fim da noite, ele manda Harry para a ala hospitalar de Hogwarts para um descanso. Harry acorda e encontra Cornelius Fudge discutindo com Minerva McGonagall e Dumbledore, este discutindo com o Ministro sobre a situação de retorno de Voldemort e as conseqüências que seguiriam se Fudge o ignorasse.

No fim, Fudge e Dumbledore "separam os caminhos", e ele manda Rubeus Hagrid e Olympe Maxime para sua "missão", Sirius para recomeçar a ordem e Snape para retornar a Voldemort e espioná-lo. No fim do ano, Dumbledore fala sobre Cedric Diggory, conta o que aconteceu a ele e conta aos alunos que Lord Voldemort finalmente retornou.

Segunda Guerra

Order of the Phoenix

Dumbledore e Fawkes
Enlarge
Dumbledore e Fawkes

Em Harry Potter and the Order of the Phoenix, Dumbledore perde as posições de Bruxo Chefe do Wizengamot, Cacique Supremo da Confederação Internacional de Bruxos, e perde sua Ordem de Merlin, Primeira Classe — tudo no verão de 1995 por causa de seus anúncios sobre o retorno de Voldemort. Enquanto isso, o Ministério da Magia faz tudo o que pode para desacreditar a ele e a Harry Potter, principalmente através do Daily Prophet. Ele fez curtas paradas no número doze, Grimmauld Place (agora o quartel-general da Ordem da Fênix) e nunca pediu para ver Harry. Em 12 de agosto, Dumbledore enfurece Fudge quando surge na audiência de Harry com uma testemunha (Arabella Figg) para se certificar de que ele não será expulso.

Durante o ano letivo em Hogwarts, o Ministério da Magia cria o Decreto Educacional Número Vinte e Dois, permitindo que Fudge coloque Dolores Umbridge no posto de professora de Defesa Contra as Artes das Trevas (depois que Dumbledore não conseguiu achar um candidato). Através dela, o Ministério lentamente ganha poder sobre Hogwarts e Dumbledore, que o Ministro teme estar criando um exército com o objetivo de tomar o Ministério. Umbridge proíbe defesa prática em suas aulas, forçando Harry, Ron e Hermione a formar a Dumbledore's Army com seus amigos. É quando a D.A. é descoberta pelo Ministério que Dumbledore, escolhendo aceitar a responsabilidade, mente dizendo que a organização era sua criação subversiva, e permite ser removido do cargo de diretor (pela segunda vez) ao invés de permitir que Harry seja expulso. Ele quase destrói seu escritório com explosões mágicas e desaparece num faiscar de chamas com Fawkes a fênix. Umbridge então toma a posição de diretora. Mas, antes de sua partida, Sybill Trelawney é demitida por Umbridge e substituída por Firenze por ordens de Dumbledore, o que enfurece Umbridge, sendo que ela odeia mestiços.

Dumbledore não aparece mais no livro até que ele aparece no Departamento de Mistérios para ajudar a Ordem na batalha contra os Death Eaters. Ele então salva Harry da maldição Avada Kedavra lançada por Voldemort e continua num duelo feroz contra o Lorde das Trevas. Depois que Voldemort desaparata (após ser visto por Fudge e os Aurores), Dumbledore manda Harry para seu escritório usando uma Chave de Portal. Ele volta para seu escritório meia hora depois depois de explicar a Fudge o que aconteceu e retornar ao posto de diretor. Dumbledore explica a Harry que foi sua culpa que Sirius morreu na batalha. Ele também diz que cometeu um grande erro em não contar logo para Harry por que Voldemort decidiu matar seus pais e mostra a ele a Profecia da Professora Trelawney. Finalmente, ele conclui dizendo a Harry que Voldemort o escolheu como seu igual e que um deve matar o outro no fim.

Dumbledore também retorna aos cargos de Bruxo Chefe do Wizengamot, Cacique Supremo da Confederação Internacional de Bruxos e recupera sua Ordem de Merlin, Primeira Classe.

Half-Blood Prince

No sexto livro, Harry Potter and the Half-Blood Prince, Dumbledore, percebendo a importância de sua comunicação com Harry, passa mais tempo com ele do que em qualquer outro livro. Dumbledore leva Harry da Privet Drive e o leva com ele para persuadir Horace Slughorn a se juntar ao corpo docente de Hogwarts - sua mão direita, Harry nota, está enegrecida e parece queimada. Depois, ele deixa Harry na Toca. Durante o ano letivo, Dumbledore se encontra com Harry em seu escritório para ensinar a ele sobre o passado de Voldemort porque, segundo ele, isso tem imensa importância. Através das aulas, eles visitam as lembranças dos outros que contêm informações importantes sobre a vida de Voldemort levando a sua ascenção genocida ao poder. É explicado que Voldemort criou Horcruxes para ganhar imortalidade e que elas precisam ser destruídas antes que Harry vá atrás da última parte da alma de Voldemort, contida no corpo do Lorde das Trevas. Dumbledore diz a Harry que se ele achar uma Horcrux, Harry pode ir com ele para pegá-la.

Harry também repetidamente avisa Dumbledore em suas aulas que outro aluno, Draco Malfoy, está trabalhando para Voldemort. Dumbledore se recusa a tomar qualquer atitude contra Draco, e ao invés disso diz a Harry que ele já sabe mais sobre o que está acontecendo do que Harry. Draco faz duas tentativas fracassadas de matar Dumbledore durante o ano, mas em cada ocasião um aluno é machucado no lugar. A primeira tentativa envolve um colar amaldiçoado, e a segunda, um tonel de hidromel envenenado. Nas duas vezes Harry tenta avisar a Dumbledore que Malfoy é o responsável. Dumbledore também se recusa a partilhar da desconfiança de Harry sobre Snape, o atual Professor de Defesa Contra as Artes das Trevas, depois de ser forçado a admitir que Snape foi parcialmente responsável pelas mortes dos pais de Harry, tendo sido ele que passou a informação sobre a profecia para Voldemort.

Harry suspeita que Malfoy está trabalhando em algo na Room of Requirement, mas não pode entrar nela. Quando tenta avisar Dumbledore, ele é ignorado.

No fim do sexto livro, Dumbledore e Harry vão para a caverna onde Dumbledore acredita residir uma Horcrux. Quando eles entram na antecâmara, Dumbledore observa as paredes até perceber como se entra na caverna e passa seu sangue na parede. Quando eles entram na caverna, ele novamente estuda as trevas até encontrar uma corrente presa a um pequeno bote. Os dois entram e começa uma viagem por um lago escuro. Quando Harry vê cadáveres humanos no lago, Dumbledore calmamente responde que "é o desconhecido que tememos quando olhamos para a morte e para as trevas, nada mais" e que Voldemort não consegue entender que existem modos piores de destruir um homem do que simplesmente o matando. Eles alcançam uma plataforma e a bacia onde está a Horcrux. Dumbledore diz a Harry que o único meio de recuperá-la é beber e poção e começa a fazê-lo. Quando ele não consegue mais beber sozinho, Harry segue as instruções de Dumbledore e o força a beber. Dumbledore começa a gritar, parecendo sofrer tortura mental. Depois que a poção termina, ele pede desesperadamente por água. Harry conjura água, que desaparece ao tocar os lábios de Dumbledore e Harry é obrigado a retirá-la do lago. Os Inferi, guardiões mortos da Horcrux, se levantam do lago e tentam puxar Harry para as profundezas geladas da água. Mas Dumbledore se recupera e cria um laço de fogo em volta deles. Dumbledore pega o medalhão e os dois saem da caverna e voltam para Hogwarts (desta vez Harry é quem faz o sacrifício de sangue na parede).

Quando eles retornam (chegando primeiro a Hogsmeade), Madame Rosmerta informa a eles que a Marca Negra fora conjurada sobre a Torre de Astronomia e Harry e Dumbledore partem nas vassouras de Rosmerta para a torre. Quando eles chegam, a encontram vazia. Ouvindo passos de dentro da torre, Dumbledore usa a fração de segundo antes de ser desarmado por Draco Malfoy para imobilizar Harry, que se torna uma testemunha silenciosa e invisível dos eventos. Dumbledore, enfraquecido pela poção da caverna, meramente conversa sobre o plano de Malfoy para matá-lo. Enquanto falava com Malfoy, Dumbledore revelou que já sabia que ele estava por trás dos dois atentados anteriores. Malfoy revela que seu plano principal era usar o armário sumidouro dentro de Hogwarts para transportar Death Eaters para dentro do castelo. Os invasores entraram no castelo enquanto Dumbledore e Harry estavam fora, buscando a Horcrux.

Morte

Dumbledore cometeu um erro terrível colocando o anel amaldiçoado em sua mão direita, entre o quinto e o sexto livro. Severus Snape foi chamado para ajudá-lo a acabar com a maldição naquela noite. Porém, quando Snape chega e observa a maldição, ele avisa a Dumbledore que este tem menos de um ano de vida - Snape fez tudo o que pôde, mas esta maldição em particular irá se espalhar e matar o diretor. Dumbledore pede a Snape para, quando chegar a hora, matá-lo, então será "menos humilhante". Severus concorda, mas somente porque jurara a Dumbledore que faria qualquer coisa por ele, mas depois tem dúvidas sobre se vai ou não acabar com a vida do diretor. Voldemort mandou Draco Malfoy na tarefa de matar Albus também, e Dumbledore sabia disso. Na noite da morte de Dumbledore, percebendo a situação precária de Malfoy, Dumbledore oferece a ele e seus pais a proteção da Ordem da Fênix. Malfoy é obrigado a recusar quando os Death Eaters chegam à cena. Eles encorajam Malfoy a matar Dumbledore, quando Severus Snape chega à torre. Malfoy percebe que não pode matar Dumbledore, então Snape é obrigado a cumprir a tarefa que havia prometido a Dumbledore que cumpriria, usando a Maldição da Morte numa cena em que Dumbledore finge implorar por sua vida e Snape finge ignorar as súplicas de Dumbledore, para que os Death Eaters não percebam a verdadeira lealdade de Snape.

Funeral

Alunos, professores, membros do Ministério da Magia, gigantes, fantasmas, centauros, sereianos e outros que querem dizer um último adeus comparecem ao funeral de Dumbledore. Vestido em veludo púrpura, ele é enterrado num túmulo de mármore branco perto do lago de Hogwarts, e é dito que ele foi o único diretor a ser enterrado nos terrenos da escola. Em seu enterro, Fawkes canta uma música triste, lamentando a morte de seu mestre, e deixa a escola para sempre.

Deathly Hallows

"The Life and Lies of Albus Dumbledore"

Depois de ouvir histórias conflitantes sobre a infância de Dumbledore e ascensão à posição de diretor de Hogwarts, acompanhada de suas conquistas no caminho, Harry começa a duvidar do Dumbledore que conheceu. Quando frustrado, ele frequentemente fica furioso com Dumbledore por colocá-lo na busca por Horcruxes com tão pouca informação. Tentando juntar as peças da verdadeira história de seu passado, Harry finalmente ouve do irmão de Dumbledore as dificuldades de sua juventude.

Harry descobre sobre Ariana, atacada por trouxas, com uma doença mental que acabou levando à morte da mãe de Dumbledore, Kendra, o que forçou Albus a se tornar chefe de família. Descobriu sobre a amizade de Dumbledore com Grindelwald e sobre o duelo entre Albus, Aberforth e Grindelwald que acabara levando à morte de Ariana e sobre como ninguém sabia quem havia disparado a maldição que levara à morte de Ariana, e a fuga de Grindelwald. Dumbledore adiou o confronto contra seu antigo amigo, agora um poderoso bruxo das trevas que detinha posse da Elder Wand. Porém, o confronto acontece e Dumbledore, vitorioso, se torna mestre da Elder Wand.

Depois, Albus descobriu sobre a Resurrection Stone, a pedra incrustada no anel de Marvolo Gaunt. Ao invés de destruir imediatamente a Horcrux, Dumbledore, caindo na tentação de vencer a morte para recuperar seus familiares que se foram, pôs o anel no dedo e quase morreu por causa da maldição de Lord Voldemort. Apesar de Severus Snape conseguir prender a maldição somente na mão em que Dumbledore pusera o anel, era certo de que a maldição o mataria no máximo em um ano. Ao saber disso, Dumbledore pediu a Snape para que o matasse na oportunidade certa, já sabendo que Voldemort obrigara Draco Malfoy a cumprir a mesma tarefa.

O Bicho-papão de Dumbledore é o cadáver de sua irmã.

Reencontro

Dumbledore aparece uma última vez para Harry perto do fim do livro, num grande salão similar à estação de King's Cross. Finalmente explicando a verdade sobre a ligação entre Voldemort e Harry, Dumbledore explica que era Harry, em sua falta de egoísmo, que devia ser o verdadeiro "Mestre da Morte", capaz de unir as Relíquias da Morte, porque ele controlava seu medo da morte (o que Harry temia era o próprio medo, na forma de um dementador). Harry conforta Dumbledore enquanto este confessa todos os seus erros. Dumbledore então informa a Harry sobre a escolha que ele ainda tinha; ir em frente para o além-vida ou retornar para seu corpo para enfrentar Voldemort num confronto final. Antes de partir, Harry pergunta a Dumbledore se esse encontro final foi só algo de sua cabeça. Dumbledore responde ambiguamente com outra pergunta, perguntando se faria tudo menos real. Harry tem uma curta conversa com o retrato de Dumbledore no escritório do Diretor sobre o destino que ele dará às Relíquias da Morte. Harry nomeia seu segundo filho em homenagem a Dumbledore e Snape.

Aparência e Personalidade

Dumbledore é descrito como alto e magro, com longos cabelos prateados e uma longa barba. Ele tem olhos azuis brilhantes, um grande nariz curvo e dedos longos. Ele usa oclinhos de meia-lua. Quando mais jovem, ele possuía cabelos de cor acaju. Ele uma vez disse ter uma cicatriz acima do joelho esquerdo na forma de mapa do Subterrâneo de Londres. Ele é sempre visto em roupas de colorações diferentes que frequentemente possuem estampas de estrelas e luas.

Dumbledore é bem humorado e não dá a mínima importância para sangue puro. Acredita que as escolhas mostram uma pessoa como ela é. Ele chama Voldemort pelo nome que este possuía antes de se erguer como bruxo das trevas (Tom Riddle). Os personagens frequentemente lembram que a maior fraqueza de Dumbledore é "confiar nas pessoas". É muito sábio, calmo e educado. Ele também tem uma grande apreciação por doces. Dumbledore também é representado como sendo muito excêntrico.

Habilidades mágicas

Até mesmo quando muito jovem, Dumbledore possuía habilidades mágicas incríveis.

É um alquimista famoso por ter trabalhado com Nicolas Flamel, o único que produziu a Pedra Filosofal e por ter descoberto os doze usos do sangue de dragão. Ele é capaz de produzir fogo eterno e um Patrono corpóreo em forma de fênix. Teve várias oportunidades de se tornar Ministro da Magia, mas as recusou porque se sentia culpado pelo que aconteceu a Ariana.

Sua arma principal parece ser o fogo. Em seu duelo contra Voldemort no quinto livro, ele usou um chicote de fogo; quando mostrou seus poderes ao jovem Riddle, ele o fez pondo fogo em seu armário. Dumbledore pode ficar invisível sem precisar de uma capa de invisibilidade e é um perito em Oclumência e Legilimência.

Dumbledore dá grande importância a lembranças (fato pelo qual possui uma Pensieve) e fala Mermish (serêiaco), Gobbledegook (grugulês) e Parseltongue (ofidioglossia).

Varinha

Durante parte de sua vida, Dumbledore empunhou a Elder Wand, uma das Relíquias da Morte, como sua varinha. Ela havia previamente pertencido a Gellert Grindelwald, que foi derrotado por Dumbledore e perdeu o controle sobre a varinha. Depois da morte de Dumbledore, sua varinha foi enterrada com ele. Voldemort, descobrindo a localização da varinha, viola o túmulo de Dumbledore e a rouba. Ele mata Snape pensando que este era o mestre da varinha por ter matado Dumbledore; mas ele desconhecia o fato de que Draco Malfoy desarmara Albus antes de sua morte, tornando-se o mestre da Elder Wand.

As lendas dizem que a varinha é mais poderosa do que qualquer uma que já existiu, e tal fato pôde ser comprovado quando ela consertou a varinha de azevinho e pena de fênix de Harry, que havia sido quebrada e considerada impossível de reparar.

Família

Artigo principal: Família Dumbledore

Representação nos filmes

Nas adaptações de Philosopher's Stone (2001) e Chamber of Secrets (2002), Dumbledore foi representado por Richard Harris, que faleceu em 2002. Michael Gambon ficou no papel em Prisoner of Azkaban (2004), Goblet of Fire (2005) e Order of the Phoenix (2007).

Harris iria atuar no papel por toda a série, mas faleceu depois do lançamento do segundo filme e Michael Gambon ficou em seu lugar. Originalmente, o papel foi oferecido a Patrick McGoohan antes de Harris, mas McGoohan recusou-o por questões de saúde. Harris mencionou que ia recusar o papel também porque sabia que sua saúde também ia mal, mas o aceitou porque sua neta de 10 anos ameaçou nunca mais falar com ele se ele não aceitasse.


Anterior Posição Próximo
Gellert Grindelwald Mestre da Elder Wand
(1945-1997)
Draco Malfoy

Anterior Posição Próximo
Gellert Grindelwald Usuário da Elder Wand
(1945-1997)
Lord Voldemort

Anterior Posição Próximo
Desconhecido Professor de Transfigurações
(c.1936-c.1956)
Minerva McGonagall

Anterior Posição Próximo
Desconhecido Chefe da Gryffindor
(c.1936-c.1956)
Minerva McGonagall

Anterior Posição Próximo
Armando Dippet Diretor de Hogwarts
(c.1956-1993)
Minerva McGonagall

Anterior Posição Próximo
Minerva McGonagall Diretor de Hogwarts
(1993-1996)
Dolores Umbridge

Anterior Posição Próximo
Dolores Umbridge Diretor de Hogwarts
(1996-1997)
Severus Snape


Personal tools

sl
דומיין בעברית  דומיין  דומין  תוכנה לניהול  קשרי לקוחות  CRM, ניהול קשרי לקוחות  דומין בעברית  פורומים  ספרדית  גיבוי